Por que uma Via Ecológica?

/, Pelotas/Por que uma Via Ecológica?

Por que uma Via Ecológica?

Foto em destaque: Ana Teresa Fotografia

A promoção de estratégias para o Desenvolvimento Sustentável de uma região não é algo simples de se desenvolver. Principalmente, por envolver ações específicas em variados meios e instâncias sociais. Mas que no seu conjunto, permite oportunidades e geração de riquezas de modo equilibrado e envolvendo diversos de agentes locais e regionais.

Pelas razões acima descritas, compreendemos a necessidade de esclarecer permanente e sistematicamente sobre todos os aspectos possíveis de se observar e compreender o Projeto Via Ecológica, sem que a qualidade de sua compreensão global seja comprometida.

Portanto, estamos lançando aqui em nosso Blog uma série de textos e artigos descritivos sobre cada viés específico de ação do projeto Via Ecológica. Com isso, estamos facilitando a compreensão do público no que diz respeito à diversidade e amplitude de iniciativas vinculadas, por mais diversas que sejam suas áreas de atuação e relações umas com as outras.

A critério de exemplo, entre os tópicos aprofundados nas publicações futuras, estão os seguintes:

POR QUE UMA VIA ECOLÓGICA?

Em tempos da maior crise ambiental da história da humanidade, é no mínimo inteligente que as atividades humanas geradoras de renda – no meio rural ou urbano – se reconfigurem em formatos cada vez menos impactantes ambientalmente, e, por consequência, menos nocivos à sociedade.

Na origem desta crise – por mais difícil que seja lidar com este fardo – está o conjunto dos hábitos humanos, comportamentos, estilos de vida e padrões de consumo que, ao longo da chamada era moderna, resultou na visão de dominação da natureza. Percepção esta, que dá origem à noção de segregação entre homem e ambiente, ponto inicial de um sem-fim de conflitos e tensões socioambientais complexos e delicados de gerir.

Mas sabemos, contudo, que o bem-estar e saúde das pessoas está diretamente relacionado ao bem-estar e saúde planetária. Somos todos, parte de um grande organismo Terra, e degradá-la significa, necessariamente, degradar nossa própria casa comum e a nós mesmos (sem exceção).

A contemplação de paisagens naturais é ação passiva, observadora, e livre da necessidade de julgamento. É a oportunidade da abertura de oportuno espaço mental para sensibilização e aprendizagem. Partindo desta premissa, o turismo na natureza, especialmente experimentado de modo ativo de deslocamento – a pé ou de bicicleta, por exemplo – qualificam a experiência interativa junto aos cenários e pessoas apresentadas pelo próprio caminho.

Poderia se dizer que a experiência turística peregrina prepara o terreno cognitivo humano para o novo. Neste novo ambiente mental, o desconhecido não causa mais medo. Pelo contrário, instiga a curiosidade para compreender certos fenômenos e realidades fora da rotina tradicional.

O movimento do ato de pedalar ou caminhar ao ar livre – em ação contemplativa – faz com que a atenção, geralmente voltada para o “eu” se volte para o “todo”. Para o que está além da individualidade. Trata-se de potente exercício de cidadania e sensibilização. É o deslocamento da consciência do “ego” para a consciência do “eco”, em movimento discreto e poderoso de despertar para a vida em comunidade.

A experiência peregrina provoca uma espécie de aquietação da mente. Traz a sensação de que o tempo percebido – o tempo das emoções – seja deslocado do tempo linear do cotidiano, aquele das horas e dos minutos. Essa mudança parece ativar uma outra lógica de sensações que, para alguns, pode causar medo e insegurança, e para outros tantos, fascinação e desejo de vida!

Um brilho diferente no olhar, causador de uma vontade visceral de vida. Já sentiu isso?! Talvez esteja na hora!

Ecoturismo e Mobilidade Ativa

Seria possível, então, que o turismo rural, realizado por meios ativos de deslocamento, seja uma estratégia ainda mais eficiente de sensibilização e desenvolvimento sustentável do que o turismo realizado por meios motorizados?

Acreditamos que sim! E foi por essa razão que o projeto “Via Ecológica Serra dos Tapes-RS” foi concebido como a 1ª Via Ecológica da América Latina, e lançada em maio de 2018 na região da Serra dos Tapes, estado do Rio Grande do Sul.

Gostou da proposta e quer saber mais? Então entre em contato com a nossa coordenação e VIVA ESTE ECO!

Maiores informações podem ser solicitadas em nosso portal www.serradostapes.com.br, pelo email contato@serradostapes.com.br ou pelos telefones (53) 98138 8033 / (53) 98105 5537

By | 2018-10-01T12:38:32+00:00 outubro 1st, 2018|Morro redondo, Pelotas|0 Comentários

Sobre o Autor:

Deixar Um Comentário